SmartLinks

Smart Blog

Estratégia de marketing 360º

 Ferramentas e dicas para uma estratégia de marketing 360º

A estratégia de marketing digital 360º exige planeamento, tecnologia e adaptação. A grande questão é: valerá a pena fazer este esforço adicional em tempo, dinheiro e formação? Na SmartLinks, acreditamos que sim!

As empresas devem ter a noção exata do ponto onde estão e para onde pretendem caminhar.

Na era do digital, algumas empresas são obrigadas a iniciar o processo de transformação digital, o que pode obrigar a grandes mudanças na cultura e organização internas. Por outro lado, muitas empresas já nasceram totalmente digitais e revelam uma grande adaptabilidade e potencial.

O que é uma estratégia de marketing digital 360º?

A Estratégia de Marketing Digital é o conjunto de atividades que uma empresa ou pessoa executa online, com o objetivo de atrair novos negócios e/ou clientes, criar relacionamentos e desenvolver a identidade de marca. Deve munir-se de tecnologia para planear, construir e expandir o negócio para alcançar os resultados traçados.

A definição desses objetivos é estabelecida numa perspetiva SMART:

Traduzindo: os objetivos devem ser específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e atempados (para um determinado período de tempo). Ao mesmo tempo, devem ser relevantes e ambiciosos, mas realistas e exequíveis, com prazos estabelecidos para implementar a estratégia.

Exemplos de objetivos claros e mensuráveis:

  • Aumentar o número de contactos telefónicos mensalmente;
  • Aumentar as vendas em 20% nos próximos 3 meses;
  • Aumentar o tráfego do website em 15% mensalmente;
  • Aumentar a fidelização dos clientes em 5% no primeiro semestre;
  • Aumentar o reconhecimento da marca nos próximos 3 meses;
  • Aumentar a audiência/base de dados no próximo ano;
  • Aumentar o ROAS em 5% no 2º trimestre de 2022.

 

Uma estratégia digital 360º é composta por várias ferramentas e intervenientes, formando um círculo completo, com dados acessíveis aos intervenientes do processo. Quando todos os intervenientes têm conhecimento do caminho a seguir e dos objetivos a alcançar, toda a equipa está preparada para medir os resultados e progredir, fazendo os ajustes necessários para os alcançar.

 

É claro, conhecer o cliente é fundamentar neste processo. Isso inclui perceber quem é o seu público-alvo, os seus interesses, dados geográficos, demográficos, psicográficos e até comportamentais. Com esta informação, será possível construir uma (ou várias) buying persona(s) e segmentar as audiências e assim personalizar a mensagem enviada a cada consumidor, com base na fase de funil de compra em que se encontra.

 

Canais e ferramentas para uma estratégia de marketing 360º

É importante analisar os pontos fortes e fracos dos competidores para depois apostar num marketing diferenciador. De seguida, apresentamos algumas das nossas ferramentas favoritas para uma análise completa da concorrência.

 

Análise da concorrência

Análise de Redes Sociais: 

Análise de conteúdos que geram mais interações ou do desempenho geral da página, número de fãs, crescimento semanal, interações e até o valor de mercado do perfil.

Análise dos visitantes do website:

Análise de métricas como média de visitantes, duração das visitas, fonte do tráfego, termos mais procurados e interesses, entre outros.

 

Indicadores SEO da concorrência:

Analisam quais as empresas concorrentes que estão bem posicionadas, pelas palavras-chaves que pretendemos que apareçam.

 

Análise da concorrência Google Ads:

Além de pesquisas reais para comparar anúncios de marcas concorrentes, é possível analisar a sua posição dos rankings e planear keywords.

 

Canais parceiros

Novos canais têm vindo a surgir para ajudar as marcas a obter melhores resultados. Operam na área de espaço publicitário online em tempo real. Programatic, TEADS e Playce são os principais canais parceiros.

 

Definir o budget para marketing digital

Profissional de marketing com peças de dominó e ícones relacionados com budget.

Feita a análise da concorrência, é necessário definir um budget (esperemos que robusto!) para aplicar nos diferentes canais de marketing. Idealmente, qualquer empresa deveria considerar 20% de budget extra para testes.

Quanto se deve investir em marketing digital?

Esta é uma daquelas questões que não tem resposta certa. Tudo depende de vários fatores, nomeadamente do estado das finanças da empresa, da receita atual e dos objetivos de negócio que pretende atingir. É aconselhável ter um valor mensal definido e consistente para conseguir criar uma proposta de valor. Damos algumas dicas para definir o seu Budget Paid Media:

  • Avaliar o potencial dos canais disponíveis para o target do cliente;
  • Avaliar e quantificar o impacto do tráfego pago nos outros canais;
  • Avaliar e quantificar impacto do orçamento vs. retorno dos outros canais;
  • Apostar maiores percentagens de budget em meios que nos permitam alcançá-los (melhor CPL, melhor CPA, melhor ROAS);
  • Testar novos meios.

Redes sociais

Devemos investir em comunicação orgânica divulgando os nossos produtos/serviços e as suas mais valias, com foco na diferenciação do nosso produto/serviço face à concorrência;

Devemos investir em Anúncios Pagos nas Redes Sociais onde o nosso target navega.

Por isso, há que analisar:

  • Qual ou quais as redes mais utilizadas pelo nosso público-alvo?
  • Conseguimos alcançar a nossa buyer-persona nas redes sociais?
  • Os decisores de compra navegam nas redes sociais?

Social Ads

Os anúncios de redes sociais permitem que o cliente alcance um público específico através de segmentações: que páginas segue, que interesses tem, qual a localização geográfica, profissão, género, idade, entre outras categorias.

Os anúncios de social ads permitem alcançar um público específico, mostrar o valor e autoridade da marca, fazendo que com que o target avance no funil de compra. Há que ter em conta:

  • Objetivos do anúncio (alcance, tráfego, reconhecimento, interações, conversões, leads forms, mensagens);
  • Criação de públicos personalizados;
  • Realização testes A/B para testar criativos ou copys;
  • Utilização de diversos formatos e posicionamentos.

Funil de marketing com os ícones de redes sociais usados em cada fase do funil (Atrair, Converter, Vender, Clientes)

Google Ads

Apresentar um anúncio no momento em que as pessoas procuram, em Google Search, por determinado serviço ou produto, é a grande mais-valia do Google Ads. É um dos canais de aquisição de tráfego mais rápidos e que apresenta maior número de conversões, uma vez que o utilizador está ativamente à procura do produto/serviço que anunciamos. Assim, o consumidor é impactado em diferentes fases do funil de marketing. É importante avaliar todos os momentos e identificar em qual dessas fases o utilizador toma a decisão de compra.

Além disso, o Google Ads permite identificar facilmente quais as palavras-chave com maior retorno e usá-las na criação de conteúdo SEO (blogs ou websites), o que vai causar um bom posicionamento orgânico e diminuir o investimento a médio prazo.

O Google Ads permite diferentes formas de segmentação:

  • Keywords: os anúncios serão exibidos para quem pesquisar no Google determinadas palavras-chaves que representam os produtos e serviços (Google Search/ Display/Discovery Ads).
  • Segmentação por tópicos e canais: permite escolher tópicos específicos e exibir anúncios em vários sites sobre esse tema. O mesmo acontece com a seleção de canais específicos para veicular anúncios.
  • Segmentação por interesses: os anúncios são exibidos a pessoas que tenham um perfil estratégico para a sua empresa, mesmo quando essas pessoas estiverem noutros websites, aplicações ou até assistindo a vídeos que não estejam diretamente relacionados aos produtos e serviços publicitados.
  • Posicionamentos: selecionar os websites onde os anúncios serão exibidos.
  • Localização, Idade e idioma: é possível escolher a localização geográfica, idade e o idioma de quem será impactado pelos anúncios.
  • Programação (em que dias, horários e frequência vai estar visível).
  • Segmentação por dispositivos (PC, portátil, tablet, smartphone).
  • Acompanhar os resultados e realizar testes A/B para testar criativos, copys e mesmo landing pages.

 

Automação: E-mail e SMS Marketing

Hologramas de ícones de automação de marketing sobre ecrã de computador portátil.

A automação traduz-se no uso de ferramentas tecnológicas com o objetivo de simplificar processos, tornando-os mais eficazes de forma automática. Assim, é possível enviar ao consumidor mensagens personalizadas por e-mail ou SMS, com conteúdo relevante e com base do seu perfil e interesses.

O Hubspot CRM e o E-goi – ambos parceiros da Smartlinks – são bons exemplos de automação de marketing. O mLabs (Redes Sociais) Zapier (Apps) e ManyChat (Facebook) são também muito utilizados, inclusive por nós.

As ferramentas de automação permitem:

  • Atingir potenciais clientes em grande escala, mas de forma personalizada.
  • Manter um relacionamento personalizado com as leads angariadas através da definição de fluxos:
  • Fluxo de nutrição de leads;
  • Fluxo de abandono de carrinho de compras;
  • Fluxo de ativação de clientes;
  • Fluxo de upsell/cross sell serviços/produtos.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top