SmartLinks

Introdução à Gestão de Consentimento com o CMP Usercentrics Cookiebot

Teclado e Tablet com barra de pesquisa Google
Antes de nos debruçarmos sobre o que o CMP (plataforma de gestão de consentimento) da Usercentrics pode fazer pela sua empresa, comecemos por uma análise da situação jurídica atual em matéria de leis de privacidade de dados.

Acreditamos que o seu website e a sua app são o risco de conformidade número um para qualquer empresa que tenha uma presença digital.
Porquê?
Qualquer pessoa que visite o seu website ou app pode facilmente detetar e documentar violações em segundos e até provocar um aviso.

O que é afetado por leis de privacidade de dados como o RGPD?



De acordo com o artigo 6.º do RGPD, os operadores de websites e de aplicações são obrigados a cumprir os requisitos de uma base jurídica para a utilização de tecnologias Web (por exemplo, cookies, pixéis de rastreio) que recolhem dados pessoais.

O Art.6 Abs. 1a, estabelece a “não utilização de cookies de terceiros sem consentimento” (ver também informação abaixo sobre o veredito do TJCE sobre o planeta49 que se tornou um marco histórico na Europa).

Por conseguinte, todas as tecnologias integradas no seu sítio Web, como cookies, pixéis e plugins, que processam e recolhem dados do utilizador, como dados sobre o comportamento do utilizador, mas também endereços IP e impressões digitais, exigem uma base jurídica.

Por exemplo, no RGPD, o consentimento é obrigatório.

Que tipo de critérios temos de ter em consideração ao recolher o consentimento ao abrigo do RGPD?



Foram definidos sete critérios chave:

  • Prévio: a tecnologia que não é abrangida por interesses legítimos só deve ser carregada se tiver sido dado consentimento.
  • Explícito: Isto significa que o consentimento deve ser dado explicitamente, por exemplo, através de um clique ou de qualquer outra atividade. O consentimento implícito não é válido.
  • Fácil de retirar: o consentimento deve ser tão fácil de retirar como de dar.
  • Livre: O consentimento deve ser dado livremente e o acesso deve ser possível sem consentimento.
  • Granular: O objetivo da recolha de dados deve ser explicado de forma granular, pelo que um consentimento geral não é válido.
  • Informado: O utilizador deve ser informado de todas as informações relevantes, como a finalidade do tratamento e os dados que serão efetivamente tratados, e estas informações devem estar disponíveis para o utilizador no momento em que dá o seu consentimento.
  • Documentado: o operador do sítio Web ou da aplicação deve poder provar que obteve o consentimento e que este cumpre os requisitos de um consentimento válido.
  Todos estes requisitos legais, incluindo a aplicação do Google Consent Mode v2, podem ser cumpridos com o CMP Usercentrics Cookiebot.

A privacidade dos dados começou na Europa, mas é agora uma preocupação global

  Embora o RGPD seja pioneiro na regulamentação da privacidade de dados, existem muitos outros quadros que estão a surgir ou já estão estabelecidos em todo o mundo.   A privacidade de dados é uma tendência verdadeiramente global. Entre eles, o POPIA e a LGPD são muito semelhantes ao RGPD e são também designados por opt-in.   Os regulamentos da CCPA, pelo contrário, requerem uma solução de opt-out.   A solução da Usercentrics satisfaz todos os quadros regulamentares existentes, incluindo o RGPD, a CCPA, a LGPD, a privacidade eletrónica e segue de perto as próximas legislações previstas a nível mundial.

Quais são as possíveis consequências da falta de consentimento?

  Por um lado, existem multas definidas por lei, e por outro lado, a diminuição do desempenho dos anúncios e, consequentemente, das vendas devido à falta de dados, também é um fator importante para as empresas que dependem do marketing digital.

Por último, a perda de confiança e a perda de imagem.

O tema da proteção de dados e da privacidade é de enorme importância para os clientes finais e vários estudos mostram que, se as empresas lidarem de forma transparente com o tema do consentimento, isso pode levar a uma imagem positiva ou a um aumento da taxa de opt-in.

A taxa de opt-in (ou aceitação de cookies)



A taxa de opt-in tornou-se um fator-chave para o marketing online.

Elevadas taxas de opt-in permitem que os operadores de sítios Web continuem a fazer remarketing e retargeting analítico, bem como a otimização da conversão.

Resumindo, porque é que precisamos de uma gestão de consentimento?

 
  1. É exigido por lei que todos os operadores de sítios Web obtenham o consentimento.
  2. Nenhum dado pode ser recolhido sem o consentimento.
  3. Quanto mais dados estiverem disponíveis, recolhidos em conformidade com a lei, melhor podemos otimizar as atividades de marketing.



“A privacidade tem um Roi e a taxa de opt-in é o novo kpi”

  A privacidade também pode ser utilizada como uma vantagem competitiva, na medida em que as empresas podem aproveitar a oportunidade e abordar o tema da privacidade dos dados de uma forma superior à dos seus concorrentes.   Vários estudos (1, 2 e 3) demonstram que as empresas que conseguem garantir a confiança digital registam uma maior fidelidade à marca e maiores lucros.  

A privacidade é um desafio centrado no utilizador

  Para ganhar e manter a confiança digital, os operadores de websites e apps devem abordar a recolha de consentimento tendo em conta os valores e as preferências dos seus clientes.   Para isso, podem-se utilizar as extensas capacidades de personalização da Usercentrics e criar o texto e o design certos para criar transparência e uma excelente experiência do utilizador.    

Como é que o CMP da Usercentrics funciona de facto?

  Quando um utilizador visita um website ou app com tecnologias de terceiros integradas, estas tecnologias carregam cookies ou utilizam outros meios de recolha de dados, como píxeis.   O CMP Usercentrics não gere os cookies, mas bloqueia diretamente as chamadas ao servidor das tecnologias de terceiros, a fim de cumprir os regulamentos de proteção de dados.
user flow and how usercentrics manages cookies from tech giants like Google and Meta
Fluxo de utilizadores e como o Usercentrics gere cookies de gigantes da tecnologia como o Google e Meta
  Se a chamada do servidor for bloqueada, não podem ser definidos cookies, pelo que o CMP não tem de gerir e/ou apagar cookies.   As decisões de consentimento do utilizador (preferências) serão armazenadas na memória local do navegador do utilizador e respeitadas sempre que o utilizador voltar ao website ou aplicação.   Como parceiro especialista certificado, a SmartLinks oferece serviços de implementação de CMP Usercentrics Cookiebot. Fale connosco!   Simples assim!    

Saber mais: A decisão do TJUE no caso Planet49 GmbH

  O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu no caso Planet49 que o consentimento para cookies através de caixas pré-marcadas não é válido segundo a legislação da UE.   Esta decisão, de 2019, impacta significativamente a utilização de cookies de terceiros, exigindo que o consentimento dos utilizadores seja explícito e informado. Este veredicto tem importantes consequências:  
  • Proteção da Privacidade: Sublinha a necessidade de consentimento ativo dos utilizadores para o uso de cookies, reforçando a proteção dos dados pessoais na UE.
 
  • Efeitos no Marketing Digital: As empresas devem agora obter um consentimento claro antes de colocar cookies, afetando estratégias de publicidade online baseadas em comportamento.
 
  • Clarificação Legal: Fornece orientações específicas sobre o que constitui consentimento válido, ajudando empresas a alinharem-se com a legislação da UE.
 
  • Impacto Global: Influencia empresas internacionais que operam na Europa a adaptarem-se a padrões mais elevados de privacidade e proteção de dados.
  Este caso é fundamental para entender as exigências de consentimento na UE e a sua influência na privacidade online e nas práticas comerciais.   Imagem de destaque: Pixabay   
Scroll to Top

Google Consent Mode v2 e Usercentrics Cookiebot CMP

 

Soluções Digitais